Startups- Significado, modelos e maneiras de abrir a sua

Startups- Significado, modelos e maneiras de abrir a sua

É provável que você já tenha ouvido falar em startups.

Essas empresas estão cada vez mais populares e conhecidas.

Em princípio, startups são empresas iniciantes que possuem padrões reproduzíveis e que conseguem crescer uniformemente mesmo em situações de crise.

A saber esse modelo de negócio está ocupando o lugar de empresas engessadas e retrógradas, que teimam em negligenciar a importância e valor da inovação.

Antes de mais nada é importante ressaltar que esse modelo de empresa não se restringe apenas ao mundo digital.

Contudo, é necessário que a inovação esteja presente.

Analogamente, a confusão de achar que essas empresas só existem na internet acontece muito em virtude de que nesse cenário elas existem de forma bastante numerosa.

Na internet é mais fácil e barato abrir uma startup.

Inegavelmente, isso é fato.

Características das startups

Acima de tudo, startups precisam ser modelos de negócio inovadores, com padrões reproduzíveis e escaláveis, que mesmo diante de crises, consigam crescer.

Contudo você entende o que alguns desses fatores significam?

Não?

Então confira abaixo:

  • Modelo de negócio: instrumento que se concentra em encontrar soluções rentáveis para os problemas dos consumidores.
  • Ter padrões reproduzíveis e escaláveis: métrica que se baseia em conseguir compradores em prazos razoáveis e fornecer lucro.
    É ter eficiência para executar solicitações em largas escalas sem que isso altere o modelo de negócio.

Tipos de startups

Analogamente, essas empresas podem ser classificadas de diferentes maneiras.

Decerto, importantes fatores a serem levados em consideração nesse momento são o espaço em que atuam e o tipo de negócio que realizam.

Assim sendo, separamos algumas das principais categorizações existentes para você.

Confira abaixo:

  1. Tipo Business to Business: startups cujo serviço não se direciona ao grande público, mas a outras empresas.
  2. Classificação Business to Consumer: atende ao consumidor último do processo.
  3. Business to Business to Consumer: é usada em momentos em que uma firma faz acordos com outra com o objetivo de vender para o consumidor final.

E aí, você se interessou em se aventurar no ramo das startups?

Certamente é preciso ter um perfil empreendedor para ter sucesso nessa jornada.

Assim como ter em mente que não será fácil, e que você precisará lidar com incontáveis desafios.

Similarmente, acredite em você e no seu sonho, pois abrir a sua startup não é impossível.

Como abrir uma startup?

Com toda a certeza, se você chegou aqui, é porque não descarta a possiblidade de ter um dia a sua startup.

Acertei?

Saiba que para fazer isso vai ter que estudar padrões e aplicá-los, e que uma ideia incrível não é o bastante.

Você precisa executá-la.

Por isso, pesquise sobre o mercado e procure entendê-lo.

Igualmente, é importante analisar a efetividade de dar certo e de não dar certo também.

Então, depois de tudo isso, valide suas hipóteses e busque por investimento.

Da mesma forma, esteja atento a burocracia que abrir uma startup envolve, e se necessário busque profissionais para te ajudar nisso.

Um contador, por exemplo, pode ser muito útil.

Gostou das dicas?

Lembre-se que pode sempre contar conosco para buscar soluções para os seus desafios.

Até mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *