Sociedades empresariais ou empreender sozinho?

Sociedades empresariais ou empreender sozinho?

É provável que, ao longo da vida, você já tenha tido diversas ideias de negócios, e concluiu que as sociedades empresariais poderiam tirar os projetos do papel.

Muitas das vezes, o empreendedor recorre às sociedades empresariais em busca de capital, pois sozinho, o projeto teoricamente seria inviável.

As sociedades empresariais são compostas por duas ou mais pessoas, unidas pelo objetivo de exercer uma atividade econômica por meio de uma empresa, em geral, com o intuito de gerar lucro.

Buscar um sócio pode até parecer uma tarefa fácil em um primeiro momento, não é mesmo?

Mas acredite, não é algo tão simples.

Geralmente, você pensa primeiro em amigos próximos e familiares, pois são pessoas de sua confiança.

É claro que a confiança é necessária, e a ética e honestidade são requisitos obrigatórios para um sócio.

Contudo, para encontrar um sócio ideal, a lista tende a ser um pouco mais extensa.

Mas, como estamos aqui para te ajudar, relacionamos abaixo alguns itens que você deve ter bastante atenção ao buscar sócios para o seu negócio.

  • Habilidades complementares
  • Valores alinhados ao negócio
  • Vontade de “fazer acontecer”
  • Definição clara das tarefas de cada sócio
  • Tenha tudo documentado, preferencialmente em contrato

Aprenda com as sociedades empresariais que fracassaram

Quando falamos no fracasso de uma sociedade, não estamos falando necessariamente do fracasso do negócio.

São muitos os casos de empresas que funcionavam muito bem, mas o atrito entre os sócios foi prejudicial para o negócio.

Em contrapartida, há negócios em que um dos sócios assumiu a operação, em geral comprando a parte do outro sócio, e foi muito bem-sucedido sozinho.

Portanto, recomendamos que você aprenda com estes diversos casos, e evite cometer os mesmos erros destas sociedades.

Um dos erros mais comuns é não estabelecer em um documento, as obrigações de cada sócio na empresa.

No início do negócio, é provável que todos estejam motivados, dispostos a dar tudo de si para que o projeto dê certo.

Entretanto, os desafios vão surgindo, e em geral os resultados demoram a aparecer.

Neste estágio, muitos acabam desanimando e reduzindo o tempo dedicado ao negócio, especialmente quando ocorre de forma paralela à outra atividade.

Contudo, também é provável que outro sócio reaja de outra forma, entendendo que é necessário se dedicar ainda mais para superar desafios.

Chegamos a um cenário bastante comum, em que dois sócios se dedicam de forma totalmente desproporcional ao projeto.

Inclusive, o mais comum é que cada um tenha 50% da empresa, e o que seria um projeto entre amigos, acaba se tornando um problema profissional e pessoal.

Talvez você tenha identificado alguma similaridade com os trabalhos em grupo da escola, não é mesmo?

Repense a necessidade de um sócio no seu negócio

Para deixar claro, não somos contra sócios no negócio.

Muito pelo contrário!

O que estamos dizendo é que a boa relação pessoal com alguém não é o suficiente para ser sócio de uma empresa.

Assim como o buscar um parceiro investidor, caso você não tenha muitos recursos, não é o único caminho.

Se este for o caso, comece com um MVP (Minimum Viable Product) e tente financiar o crescimento com o próprio dinheiro do cliente, a partir das vendas.

Se não for possível, busque um sócio que realmente vá agregar valor, além do capital, e que irá acelerar o crescimento do negócio.

Acredite, para um bom negócio, testado e com resultados, os potenciais sócios vão surgir sem muito esforço.

E você, prefere empreender sozinho ou buscar sociedades empresariais?

Independente da sua preferência, conte sempre conosco para continuar se desenvolvendo.

Até mais.

Deixe seu comentário