Resiliência organizacional: Um conceito importante

Resiliência organizacional: Um conceito importante

Nos tempos atuais, o termo resiliência organizacional tem sido cada vez mais utilizado, já que os cenários internos e externos têm mudado rapidamente. Você já notou?

Nesse sentido, você precisa aprender a se adaptar a pressões, lidar com desafios, e se reinventar dentro do mercado. Inegavelmente também deve focar na resiliência organizacional para conseguir seguir adiante mesmo quando parecer difícil demais.

Só para você ficar por dentro do assunto, a resiliência organizacional acontece quando a sua empresa atua de maneira preventiva, e responde as interrupções repentinas do mercado, com flexibilidade e adaptação.

Períodos de crise normalmente reforçam a necessidade da agilidade dentro das organizações em criar soluções diante de diversos cenários inesperados, você concorda?

Porém, tudo isso só é possível com muita estratégia, conhecimento, diferenciação e abertura de mentalidade para aprender e aplicar ferramentas e planos inovadores.

Sem dúvida, em culturas cada vez mais ágeis de gestão, tomadas de decisão e volume de informação somente os mais fortes tendem a sobreviver.

É necessário ir além dos métodos tradicionais de gerir riscos e de governança, mas pensar em como reagir, absorver e adaptar às demandas que aparecem.

Por isso, esteja pronto para ser sua melhor versão, assim como para tornar o seu negócio sempre mais eficiente.

Competências necessárias para desenvolver resiliência organizacional

Em primeiro lugar saiba que as principais habilidades envolvendo esses tipos negócios são principalmente as capacidades:

  • Reativa
  • Absortiva
  • Adaptativa

Só para ilustrar, a capacidade reativa está ligada com a capacidade da empresa de entender as fragilidades e pontos fortes do seu meio de atuação e como interpretar e reagir a cada sinal interno e externo.

Um exemplo de aplicação da capacidade reativa é a forma e velocidade como algumas empresas respondem em tempos de crise mundial, como uma pandemia.

Já a capacidade absortiva, por sua vez, está ligada com a habilidade das organizações em absorver  situações críticas, como crises e impactos.

Em síntese, a capacidade adaptativa está diretamente relacionada com a habilidade de se adaptar frente aos desafios.

Geralmente, empresas que investem em inovação e estão em constante aprendizado, tem essa habilidade bem desenvolvida.

Mas quais os principais diferenciais de uma organização resiliente?

Além de ter um diferencial competitivo muito grande, esses tipos de organizações apresentam alguns destaques importantes, tais como:

  • Estratégias adaptáveis: Facilidade de se remodelar estratégias e modelos de negócios.
  • Agilidade: Aplicação de uma gestão que responde rapidamente a eventuais ameaças e oportunidades.
  • Cultura de Inovação: Fazer e trazer sempre o novo.
  • Liderança 360º: Lideranças antenadas que atuam em diversas frentes e situações.
  • Cultura de Inteligência Preditiva: Desenvolvimento de modelos que mapeiam diversas situações e cenários.
  • Uso constante de ferramentas tecnológicas: Busca constante em aplicar novas tecnologias.

Posso citar alguns casos de organizações que normalmente enfrentam situações de crise com um bom desempenho.

Exemplos são o setor de educação, com o ensino remoto, e a indústria de distribuição de alimentos, com aplicativos e sistemas de delivery.

Sem dúvidas, a resiliência organizacional é uma das melhores práticas para se preparar para diversos desafios.

Conte conosco para crescer em sua carreira.

Até mais.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *