Período de experiência: Como fazer uma boa avaliação?

Período de Experiência: Como fazer uma boa avaliação?

Certamente a tarefa de avaliar candidatos a uma vaga é uma missão desafiadora, ainda mais considerando todas as etapas do período de experiência até a contratação definitiva.

Em um ambiente cada vez mais concorrido, os colaboradores precisam se destacar e demonstrar desempenho, sobretudo no famoso período de experiência.

Para quem não sabe, o período de experiência é o prazo máximo de 90 dias que a empresa tem para avaliar seus candidatos antes da contratação definitiva.

Tudo isso é determinado pela CLT ( Consolidação das Leis Trabalhistas) no artigo 445, e nesse período o estabelecimento pode demitir o candidato sem grandes penalidades.

Sendo assim, cada vez mais empresas buscam refinar seus processos de avaliação nos meses iniciais, já que no processo seletivo não se conhece tão bem os candidatos.

Durante esse tempo, avaliar o comportamento, modo de trabalho, adaptação a cultura da empresa, perfil e personalidade do colaborador é muito importante.

Mas você pode estar se perguntando: e se esse funcionário se comportar diferente depois desse tempo inicial?

Sim, isso pode ocorrer!

Por isso é necessário que você possua uma equipe que faça uma boa análise para identificar bem os comportamentos de cada colaborador em pouco tempo.

Dicas para uma avaliar bem seus colaboradores em período de experiência

Nem sempre sabemos que candidato vai ter a melhor performance, e qual vai se manter motivado ao longo do tempo, mas podemos contar com alguns insights, não é mesmo?

Dentre os principais pontos, segue abaixo 5 pontos que devem ser considerados na avaliação de um candidato no período inicial:

  • Busca por aprendizado e humildade: Verifique se o candidato é humilde, e se está buscando aprender com o ambiente e com as pessoas. A saber, esses fatores são importantes nas etapas iniciais.
  • Assiduidade e compromisso: Analise se o colaborador tem compromisso e interesse pelas programações e agendas da sua instituição.
    Se você notar que não, ligue um alerta imediatamente.
  • Relacionamento com as pessoas e trabalho em equipe: Veja como o candidato se relaciona com as pessoas e nos trabalhos envolvendo toda a equipe.
    Decerto que problemas nos relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho podem gerar muita dor de cabeça futura.
  • Reação frente a desafios e pressões: Avalie como o colaborador tem se adaptado e respondido frente aos desafios e pressões no ambiente de trabalho.
    Como você deve imaginar, a inteligência emocional é um fator chave para o sucesso de qualquer profissional.
  • Adaptação à cultura, processos e normas: Observe se a pessoa tem se identificado com a cultura organizacional, os processos e normas da empresa.

Faça um checklist de todos esses pontos, e seja criativo ao encontrar as formas de analisar essas e outras chaves importantes.

Qual o papel da liderança e da empresa?

Sem dúvidas, cabe reforçar o papel da empresa e da liderança em todo o desenvolvimento e crescimento do funcionário.

Ademais, vale lembrar que é fundamental o papel dos gestores em gerar um bom ambiente de trabalho, desenvolver habilidades técnicas e comportamentais para potencializar a performance do colaborador.

Além disso, é importante que você forneça toda estrutura de suporte, treinamentos, orientações e uma boa receptividade para gerar uma cultura saudável para o recém-chegado.

Diante de tudo que foi colocado, existe alguma dúvida que é necessário avaliar bem já no período inicial?

Além dos custos envolvidos, contratar exige investimento, dedicação de tempo e pessoas.

Prepare a sua empresa e faça boas análises de seus candidatos já no período de experiência.

Conte conosco para te ajudar e ter as melhores dicas.

Até mais.

Deixe seu comentário