Metadados – O que são esses mecanismos?

Metadados - O que são esses mecanismos?

Você deve saber o que são dados e sua importância para implementar medidas em uma organização. Mas e os metadados? Sabe o que eles representam?

Não? Bom, metadados também são dados, só que representam uma parte mais específica desses mecanismos.

É como se a informação genérica fosse o dado principal, e as informações adicionais e mais distintas, fossem os metadados, entendeu?

Em síntese, são informações estruturadas que podem ser guardadas e classificadas.

Por exemplo: imagine que está dentro de um uber, precisando ir para casa,e o motorista te pergunta o destino final.

Se você der como resposta apenas o nome do seu bairro, provavelmente ele não conseguirá chegar até sua residência.

Assim como o motorista, todas as empresas necessitam de informações específicas para tomar decisões.

A saber, são essas informações que possibilitam que dados sejam catalogados e recuperados.

Além disso, também tornam a procura e o resgate de informações mais fácil, já que possuem valores e definições bem específicas.

Nesse sentido, é muito comum utilizar esses artifícios para fazer uma boa gestão documental.

Lembre-se das suas pastas de documento no computador e me responda, como você consegue identificar os arquivos e organizá-los?

Datas, nomes, pastas diferentes… As possibilidades são múltiplas, concorda?

Fique sabendo que só conseguimos fazer essas diferenciações por causa dos metadados.

Quais são os tipos de metadados?

Continuando, deixe-me esclarecer que existem três formas diferentes que essas estruturas podem aparecer.

O primeiro tipo é o estruturado, que é o modelo mais comum.

A característica mais marcante desse recurso é que ele se conecta a um sistema predefinido.

Por causa disso, esse formato é muito utilizado para categorizar e armazenar dados.

Você pode usá-los para estruturar formulários de preenchimento, por exemplo.

Quando seu cliente cadastrar alguma informação no seu questionário, como nome e telefone, estará te fornecendo os metadados dele.

Já o segundo tipo, por outro lado, é mais emblemático.

Nesse sentido, saiba que são conhecidos como não estruturados justamente porque aqui você pode colocar informações de qualquer tipo, sem precisar seguir regras e padronizações.

Assim, é válido ressaltar que aqui é necessário interpretar melhor as informações, já que os dados podem não seguir padrões.

Se precisar de ferramentas para interpretá-los, você pode usar o Tableau ou o software de BI n° 1.

Finalmente chegamos a última classificação: os semiestruturados.

Eles podem aparecer de diferentes maneiras, como Resource Description Framework, Consortium, Extensible Markup Language e Javascript Object Notation.

Motivos de serem tão importantes

Em suma, você precisa deles para conseguir operacionalizar tarefas e atividades no seu negócio.

Mas use esses mecanismos estrategicamente.

Com o Big Data, essas ferramentas podem te ajudar a acessar dados de forma mais simples.

Dessa forma, invista em políticas de governança que padronizam a forma que essas estruturas devem aparecer.

Esteja certo de que os metadados são muito importantes, e podem facilitar muito suas rotinas administrativas.

Ficou com dúvidas? Conte conosco para te ajudar a buscar respostas.

Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *