Mediação de conflitos: Como lidar com embates

Mediação de conflitos: Como lidar com embates

A mediação de conflitos é um tema bastante presente no ambiente jurídico, que busca evitar o litígio, e encontrar uma solução mais amigável a partir do diálogo entre as partes.

Contudo, este cenário também é bastante frequente nas organizações, e aqui abordaremos a forma mais adequada de realizar a mediação de conflitos.

Primeiramente, precisamos entender o que é esta abordagem. A mediação de conflitos é um procedimento que objetiva solucionar uma divergência entre duas ou mais partes, seja pessoal ou profissional, de forma a causar o menor dano possível e que as partes se sintam satisfeitas com a solução proposta.

É importante destacar que a figura do mediador deve ser imparcial, buscando sempre a pacificação e a melhor solução para o coletivo, a partir de acordos justos.

O conflito de terceiros está me afetando. Devo me envolver?

Antes de tomar qualquer iniciativa de mediar algum impasse, é necessário entender o seu papel neste conflito.

Qual é o seu envolvimento neste atrito? Você faz parte da equipe? É o líder? É o dono da empresa? Gestor do departamento de RH?

Para cada cenário, haverá um mediador mais adequado.

Por exemplo, em uma desavença entre pessoas de um mesmo departamento, o gestor deste setor é a pessoa mais indicada para buscar o entendimento.

Em contrapartida, em uma divergência entre um gestor e um liderado, a mediação do RH ou mesmo do proprietário da empresa pode ser o caminho mais adequado para chegar à uma solução.

Ocasionalmente, em atritos de menor escala e que você seja uma figura imparcial, tomar a iniciativa e conversar diretamente com as partes, pode evitar um transtorno mais grave no futuro.

Mas como o ADF está aqui para te ajudar, listamos algumas características essenciais para que o mediador tenha sucesso neste processo.

  • Empatia
  • Imparcialidade
  • Escuta ativa
  • Busca pelo consenso
  • Ética
  • Respeito
  • Firmeza

Salientamos que independente da gravidade do impasse, a barreira do respeito e ética jamais deve ser ultrapassada, seja por uma ou todas as partes, incluindo o mediador.

Todavia, em alguns casos, pode ser necessária uma dose de firmeza.

O magnífico poder da empatia

Também cabe destacar que a empatia é um dos principais segredos para a solução dessas situações.

Em muitos casos, os dois lados podem ter razão – mesmo que parcialmente – sob seus próprios pontos de vista, e resta apenas que se coloquem no lugar do outro para entenderem a origem daquele problema.

Como mediador, também se coloque no lugar das pessoas em conflito, busque entender suas razões para chegar naquele estágio.

Lembre-se: demonstrar compreensão faz toda diferença.

Contudo, mostre que a flexibilidade ajudará na busca pela solução e que será o melhor resultado para todos.

Todavia, inegavelmente, nossa recomendação é que o menor dos ruídos seja solucionado logo que identificado, evitando que se torne um grande conflito dentro da organização.

Também acreditamos que o diálogo é sempre o melhor caminho.

E então, te ajudamos a entender o que é a mediação de conflitos?

Esperamos sinceramente que sim! Conte sempre conosco para continuar se desenvolvendo.

Até a próxima.

Deixe seu comentário