Marketing de guerrilha – Conceito e maneiras de fazer

Marketing de guerrilha - Conceito e maneiras de fazer

O marketing de guerrilha é um mecanismo muito usado em estratégias de publicidade pouco convencionais.

A saber, o marketing de guerrilha foi idealizado por Jay Conrad Levinson como uma estratégia focada na publicidade criativa e pouco convencional inspirada na Guerra do Vietnã.

Isso porque esse evento mostrou mais uma vez que enquanto seres humanos nós sempre precisamos reinventar nossas oportunidades, e assim achar soluções inovadoras para situações de crise. O marketing de guerrilha funciona exatamente baseado nesse preceito.

Inquestionavelmente o marketing é um excelente meio para inovar e criar opções criativas.

Além disso, pode existir em diferentes vertentes, causando mais ou menos impacto, usando mais ou menos recursos.

Marketing de guerrilha – Estratégia de alto impacto

De antemão é importante saber que o marketing de guerrilha é uma tática mais agressiva que outros meios de divulgação.

Assim, o que acontece nesse mecanismo é que existe uma elevação no impacto da campanha sobre a audiência usando um investimento baixo.

Em síntese, você faz mais com menos.

Contudo, esse tipo de ação não pode ser feito de qualquer jeito.

Em primeiro lugar, saiba que esse tipo de trabalho é diferente das técnicas tradicionais, embora as duas estratégias tenham o objetivo de atrair atenção do público para vender um produto, ou até um serviço.

Porém, a abordagem usada é diferente.

O que acontece é que os anúncios tradicionais trazem uma proposta que pode ser descartada pelo público rapidamente, uma vez que nem sempre é chamativa.

Já na estratégia de guerrilha, por outro lado, é muito difícil um anúncio passar despercebido, o que acaba contribuindo para que a imagem fique por mais tempo no inconsciente de possíveis clientes.

Muitas vezes acaba te fazendo parar para pensar no que leu, ou no que viu.

E isso te faz reagir, concorda?

Assim, você acaba comprando algo, ou deixa de fazer algo que te prejudique de alguma forma, por exemplo.

Como você pode montar a sua estratégia de guerrilha?

O primeiro passo é avaliar qual é o seu principal objetivo com a campanha.

Nesse sentido, pense:

  • Quero causar um desconforto?
  • Será que vou ganhar mais reforçando uma mensagem positiva?

Para isso você precisará conhecer muito bem o seu público, bem como seus clientes.

Em segundo lugar, não busque por fórmulas mágicas, lembre-se que algo que deu certo com seu concorrente pode não funcionar para você, e tudo bem.

O importante é aprender e melhorar com os erros cometidos.

Analogamente a isso, pense em empresas com as quais pode fazer parcerias.

A Microsoft é um ótimo exemplo de como isso pode funcionar.

Quando a empresa lançou o Surface, estabeleceu uma parceria para grafitar o anúncio do produto no muro de um lava-jato que ficava próximo à Apple.

Por fim, também te diria para ser original e ter muito cuidado com a execução do seu projeto.

Afinal, uma mesma ideia pode ser percebida de maneiras completamente opostas dependendo de quem esteja diante dela, certo?

Tomara que você tenha gostado do conteúdo sobre marketing de guerrilha.

Conte conosco para continuar se desenvolvendo.

Até mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *