A gestão participativa na estratégia do empreendedor

A gestão participativa na estratégia do empreendedor

Já pensou em adotar a gestão participativa na sua empresa?

Nunca? Quem sabe depois de conhecer como a gestão participativa funciona, bem como as vantagens proporcionadas por esse modelo, você não mude de ideia.

Antes de qualquer coisa, precisamos pontuar que a gestão participativa é uma forma de administrar empresas, em que todos os colaboradores, independente do seu nível hierárquico, participam da gestão.

E não! Isso não quer dizer que os processos administrativos serão desorganizados.

Em síntese, as relações entre os funcionários que participam de alguma equipe são estreitadas, e isso possibilita que todo mundo possa sugerir melhorias para que os objetivos da organização sejam alcançados de maneira mais rápida.

Ou seja, nada de bagunça e desordem, camarada.

Outro ponto válido que precisamos comentar: aqui o papel do líder continua sendo importante.

Em outras palavras, é ele quem toma as decisões.

Porém, para fazer isso, essa pessoa deve considerar as ideias e sugestões daqueles que trabalham com ele.

No geral, o colaborador não apenas participa do trabalho, ele também integra o processo em que o trabalho é pensado e implementado.

Você pode encontrar quatro cenários em que a gestão participativa se ramifica:

  • Gestão participativa comportamental: você deve estimular a autonomia dos colaboradores. Como? Um ótimo primeiro passo pode ser substituir ordens por orientações e direcionamentos.
  • Gestão participativa estrutural: também precisará realizar algumas transformações na estrutura da sua empresa, a fim de tornar o poder dentro da organização menos concentrado.
  • Interfaces e stakeholders: deve conversar com os consumidores, para que eles também participem do processo decisório. Para tanto, procure entender suas necessidades e aspirações para que consiga levar tudo em conta na hora de decidir por algo.
  • Resultados: administre sua empresa tomando como base dados e resultados. Isso significa que independente do cargo, as ideias e sugestões que mais forem coerentes e indicadas, precisam ser aceitas.

Mesmo que você seja o CEO da empresa, tome suas decisões baseando-se não só na sua vontade e instintos.

Escute o que seus colaboradores têm a dizer e sempre, sempre mesmo, tenha dados como fatores determinantes nesses processos.

Imagine o que acontecia quando as empresas não adotavam esse tipo de estratégia.

Comumente o poder era centralizado em uma única figura, e todo o resto do time existia apenas para seguir ordens.

Hoje a realidade mudou, e muitas organizações já entenderam que trabalhar em equipe é totalmente diferente do que costumava acontecer a anos atrás.

Isso quer dizer que se você espera viver em um ambiente em que todos trabalham em pró dos mesmos objetivos, precisará focar na integração, rendimento e aperfeiçoamento de processos na hora de tomar suas decisões.

Gestão participativa = gestão democrática?

De maneira geral, você pode aplicar a administração participativa a um modelo de gestão democrática.

Isto é, os colaboradores e diretores são ativos no processo de decidir por algo.

Fazendo isso, todo mundo acaba se desenvolvendo mais ao melhorar o desempenho de certas habilidades fundamentais para chegar aos objetivos estipulados.

É como se passasse a existir um elo entre você e a empresa em que trabalha.

Isso, inclusive, te motiva a contribuir ativamente no alcance das metas, à medida em que você se identifica mais com os valores e missão da organização.

Como colocar isso em prática?

  1. Busque entender o que as pessoas que trabalham para você pensam sobre o seu tipo de gestão: pesquise como está o clima organizacional, faça reuniões, converse sobre isso e se coloque disponível para ouvir o que todos têm a dizer.
  2. Mostre os resultados obtidos aos seus colaboradores! Seja sincero e transparente com a transmissão dessas informações.
  3. Estimule e dê abertura para que todos do seu time forneçam sugestões e ideias a serem implementadas: reuniões semanais ou rodadas de brainstorming costumam ser ótimos meios para isso.
  4. Conheça a sua equipe. Esteja ciente das suas expectativas e proponha planos para que eles evoluam e se desenvolvam dentro da empresa, ou nas suas áreas de atuação.
  5. Acompanhe de perto as mudanças.

Por fim, espero de coração que depois de ler esse texto você se sinta impulsionado a implementar a gestão participativa no seu negócio.

Nem preciso dizer que você pode e deve contar com toda a nossa equipe para fortalecer os processos necessários para o desenvolvimento da sua empresa.

Até mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *